segunda-feira, 25 de maio de 2009

Show de horrores

50 comentários

Fui ver o incrível Pilobolus, um grupo de dança americano formado por seis bailarinos que fazem miséria no palco. Uma coisa meio Deborah Colker, meio Cirque du Soleil. Uma aventura visual única, uma ode ao talento e à criatividade. E à leveza, e à precisão. E à perfeição. Fiquei pasma. O problema é que além dos bailarinos, a plateia me deixou boquiaberta. Para meu espanto, as pessoas falavam alto sem cerimônia, como se estivessem na sala de casa ou, pior, numa mesa de bar. 

- Isso não é balé, é contorcionismo - disse a pessoa sentada na minha frente para sua vizinha de cadeira.

Ah, mas é bonito. E tudo o que é bonito é bom de ver. Deixa de reclamar, como você gosta de reclamar.

- Shhh! - fiz acompanhada de outros incomodados como eu.

- Que corpo esse bailarino tem, hein? Ah, eu com dez anos a menos... - confidenciou uma outra espectadora, sentada na fila de trás.

Deixa disso, você nunca gostou de homens bonitos! E esse é um pedaço de mau caminho discordou a amiga, no mesmo tom de conversa de botequim da outra.

- Será que aqui não tem garçom? Queria pedir gelo pro meu refrigerante. Tá uma porcaria reclamou um cara sentado bem perto de mim.

Fiquei impressionada com a falta de educação. E com a falta de respeito com os artistas. Meu Deus! Onde foram parar os bons modos? Teatro e cinema não são lugares para bater papo! Que vergonha ver adultos se portarem tão mal!

E que vergonha do Vivo Rio, que não está preparado para receber uma companhia do quilate de Pilobolus. O barulho que vinha da cozinha era irritante, desrespeitoso, um acinte. E alto. Como tudo ali na plateia.

Saí de lá embasbacada com o espetáculo que vi no palco e com o show de horrores protagonizado pela falta de educação. Que da próxima vez os bailarinos tenham um local mais digno de seu talento para se apresentarem, como o Municipal ou o João Caetano, por exemplo. Infelizmente não posso fazer nada em relação aos adultos mal-educados. Ao contrário das crianças, que têm uma vida inteira para aprender boas maneiras, adultos já estão formados e dificilmente enxergam seus erros.

Fica aqui meu protesto e meu desabafo. Educação é artigo precioso em qualquer plateia, de qualquer espetáculo. Não, mais que isso: educação é fundamental na vida. 

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Baita elogio

38 comentários

"Seus livros fazem as crianças descobrirem como é a adolescência, fazem as adolescentes saberem que não estão sozinhas nesse mundo, e principalmente, fazem os adultos voltarem a ser adolescentes", Sheila.

A Sheila é uma menina que começou a comentar aqui há pouco tempo. Outro dia, olhando os comentários, me deparei com este elogio que me emocionou, me acarinhou, me fez pensar... Há muito tempo não lia uma coisa tão bacana sobre o meu trabalho. Uma frase simples, espontânea, escrita pela melhor crítica literária que existe: uma leitora.  Muito, muuuito obrigada, Sheila. Você fez meu dia mais feliz. Todo o meu amor pra você.

Galera, ultimamente não tenho tido tempo de responder os emails que recebo (mas leio todos!). Parei com o Orkut porque o relógio tá de mal comigo e não tem me dado trégua e é justamente por isso que peço mil desculpas, mas não posso visitar os blogs de vocês e comentar, como muitos me pedem aqui. Se comentasse no blog de uma pessoa, acabaria sendo injusta com outra. Espero que vocês entendam. Adoro estar em contato com meus leitores, por isso tenho tanto carinho por esse nosso cantinho. É um delícia vir aqui e "conversar" com vocês.

Beijocaaaaa

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Minha alma canta

51 comentários
Ainda estou com o fuso confuso, mas tão feliz por estar no meu Rio de Janeiro. Estava morrendo de saudade de tudo aqui. Hoje rolou uma praia paradisíaca! Céu azul, água cristalina, temperatura perfeita! Amo demais essa cidade! 

Matei a curiosidade! Vi o curta que o pessoal do Discovery Home & Health fez comigo. Está indo ao ar durante a programação. Aí está o resultado. Eu adorei! E quero aproveitar para agradecer ao pessoal que participou da gravação e à livraria Alegria das Letras, que me recebeu tão bem. Espero que vocês gostem. Me senti muito lisonjeada por ter sido uma das quatro escolhidas no Brasil para representar "a mulher que trabalha, é reconhecida profissionalmente, se diverte e faz campanhas sociais (eles me chamaram por conta do Ler é Bacana. Não é demais?)". Foi isso que eles me disseram quando me convidaram para participar.  Quase caí pra trás. Achei até que era trote. Os curtas foram feitos com mulheres de toda a América Latina e vão ficar no ar durante três meses. 

Antes de encerrar este post preciso dividir uma coisa com vocês: estou viciada em The Tudors (http://sho.com/site/tudors), uma série sobre o Henrique VIII que é simplesmente sensacional.  Tentem assistir, vale muito a pena. Não dá, não posso ver nenhuma série que vicio. Lost (sensacional, cada vez mais incrível), Ugly Betty (amooo!), Two and 1/2 Man (o texto está melhor a cada temporada) e a incomparável Brothers and Sisters (sou simplesmente apaixonada pelos Walkers e pela Sally Field). Isso sem contar com as inesquecíveis Sex and the City (ai, que saudade da série! O filme foi tããão chatinho e previsível), Friends (Phoebe! Phoebe! Phoebe!) e Seinfeld, simplesmente genial. 

Normalmente não sou muito de filmes, mas vi O Leitor no avião e fiquei bege. A Kate Winslet realmente merecia o Oscar, que show ela deu! E que filmaço! Também recomendo!

Bitocas cariocassssss

sábado, 9 de maio de 2009

Margarida, Fala sério, pai! e sonhos

63 comentários

Ontem fui participar de um programa na SIC chamado Mundo das Mulheres. O programa era sobre best sellers e fui convidada para falar do meu trabalho ao lado de um sociólogo que tentou explicar o fenômeno best seller, e a Margarida Rebelo Pinto, uma escritora portuga que já publicou aí no Brasil quatro títulos, pela editora Record, e que já vendeu nada mais nada menos que um milhão de livros (eu disse UM MILHÃO!!!). E o fato de que Portugal tem apenas 10 milhões de habitantes a torna ainda mais vitoriosa. Viva ela!

Durante o programa, que dura uma hora, percebemos várias afinidades. Ela também anota coisas que lhe vêm à cabeça (eu até contei pra ela que do bloquinho passei para o gravadorzinho, para não precisar encostar o carro quando estou dirigindo) e, como eu, ela, sem um pingo de vergonha (afinal, estava batalhando pelo seu sonho) ia às livrarias fazer propaganda do seu trabalho. 

Deu certo pra ela. Deu certo para mim. E podem acreditar que dá certo pra muita gente que acredita em seu talento, em seus objetivos... No Brasil, o que mais ouvi quando comecei foi: "você não pode largar o jornalismo, se largar vai morrer de fome, porque ninguém lê nesse país". E aqui estou, com mais de 350 mil livros vendidos e o lançamento de uma carreira internacional. E é só o início, porque estou na Rocco há apenas cinco anos, quando tudo começou realmente a acontecer. Antes de encontrar uma editora grande, penei tentando convencer os outros de que não era louca, apenas acreditava que aquilo podia dar pé. 

Adolescência é a época dos sonhos. Não deixem de sonhar, por mais cafona que possa parecer esse pedido. Mas sonhem e batalhem, porque sonhos não se realizam do dia para a noite. E acreditem. 

O Fala sério, pai! nasceu!!! Sim! Já está em produção na Rocco. Chorei tanto quando acabei, mas tanto, tanto... Foi um grande desafio narrar metade de um livro como um homem, foi um grande desafio voltar à esfera familiar da Malu e (re)descobrir esse pai, o Armando, jornalista esportivo, tricolor doente e peladeiro convicto. Espero que vocês gostem dele como eu gostei. O cara é muito bacana, viu?

Ah! A foto acima mostra a Margarida e eu depois da gravação do programa. Tá meio assim-assim porque foi tirada pelo celular, mas a nossa energia boa tá nela e é isso que vale. Além de tudo, queria muito botar aqui para vocês conhecerem a carinha dela. Além de best seller, ela é gente boa atéééé!  

Bitocas estaladas (tô chegando, galeraaaa!)


terça-feira, 5 de maio de 2009

Todo dia é dia de feira

62 comentários

Galera amada! Começou a Feira do Livro de Lisboa, um evento ao ar livre, num parque lindo de viver, o Eduardo VII, e eu, claro, estou batendo o ponto lá todos os dias, como faço nas Bienais do Rio e de SP. Tudo começando, do jeitinho que aconteceu há 10 anos no Brasil (Vejam o vídeo que gravei nos dois primeiros dias do evento no fim do post). 

Cla, não acredito que você JÁ viu as minhas entrevistas no site! E Cajuzinha, você JÁ leu a entrevista que saiu na revista do DN!  Thalitetes de carteirinha! Tá tudo no meu site, o thalita.com. Botei lá algumas das entrevistas que dei por aqui. O Diário da Manhã, que é uma espécie de Bom Dia Brasil daqui, que passa na TVI, a emissora mais assistida de Portugal, e a Praça da Alegria, um programa muito divertido que vai ao ar diariamente na RTP. O link para a matéria do Diário de Notícias também está no meu site. Vai lá, galera!

Dia 13 estou de volta. Muita saudade de tudo aí! Muita saudade de vocês! Obrigada por escreverem e me deixarem tão feliz com os comentários fofos. 

Ah! O pessoal do fã-clube botou no site (e eu ameeei) a foto da campanha do Dermacyd Teen que saiu numa revista adolescente. Resolvi copiar e colar aqui. Ficou fofa, né? Ah! Já estão me vendo em algumas farmácias. Se virem, fotografem, please!!!

Bitoca na bochecha